amor próprio

Sendo fora dos padrões

setembro 18, 2016



A padronização dos tamanhos de manequim, de beleza e de comportamento excluem todos e todas que não fazem parte disso, porque somos todos diferentes: genética, estética e vontades. A sociedade e principalmente a mídia, estipula que você seja: magra, use roupas da moda, tenha um cabelo liso, seja casada, tenha filhos e bem sucedida. 

Você, melhor dizendo, nós, temos que fazer parte desse círculo de perfeição que não existe para não sermos excluídos das rodas sociais que frequentamos todos os dias: no trabalho, na faculdade/escola e família. 

Eles vão nos julgar, como nos julgam o tempo todo, querendo determinar o que temos e o que não temos que fazer, sendo que quem sabe o que é melhor pra nós, somos nós e ninguém mais, e muitas vezes nem nossos pais sabem direito. 

Não seguir esses padrões por pressão faz com que te deixem de lado por ser gorda, porque ninguém quer sair com uma gorda, namorar uma gorda, casar com uma gorda, da mesma maneira que também não querem com uma pessoa negra. Por isso muitas negras são deixadas de lado quando o relacionamento começa a ficar sério. 

As pessoas só querem andar com pessoas que aparentemente são perfeitas: sem problemas, magras, com roupas da moda, que não repetem roupas, que tem cabelos perfeitos e estão sempre feliz. Ninguém quer sair com gente feia, quero dizer no sentido de fora do padrão, porque tudo que é fora do padrão é feio. 



Digo com propriedade tudo isso, porque eu não faço parte dos padrões, basta ver minhas redes sociais. E não quero entrar dentro dos padrões, não nasci pra fazer parte de grupos, nasci pra criar o meu próprio grupo. Sou gorda, negra, meu cabelo é crespo e curto, não uso maquiagem e nem faço questão, o máximo de mais feminino que faço é pintar as unhas, porque é minha paixão e nada mais.

Todos me dizem pra deixar o cabelo crescer e emagrecer pra ter alguém, mas quem disse que é esse o meu ideal de vida, que ter um relacionamento é o que vai me deixar mais completa e feliz?! Pois é, ninguém se dá ao trabalho de conhecer o outro, deixar de lado a aparência e o poder aquisitivo para poder usufruir do que as pessoas fora dos padrões tem de melhor a oferecer que é a essência. 

Com o passar do tempo as aparências mudam, os círculos terminam e você a vida toda correu atrás pra ficar dentro do padrão e nunca soube o que era ser feliz de verdade. Pra não passar por esse arrependimento tem que parar agora e ser quem você realmente quer ser e fazer. Seja feliz!

You Might Also Like

8 Comentários

  1. Bem isso! Você tem que esta feliz do jeito que você é e não tentar se adequar aquilo que os outros acham melhor. Também não sigo os padrões e conseguir me amar assim. Foi difícil, você pode não do dia pra noite, mas irá. Eu conseguir.

    Valorize-se é o mantra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também foi difícil pra mim no inicio, mas agora me amo assim :)
      Obrigada pela visita. Beijo

      Excluir
  2. adorei o texto! e concordo plenamente!
    quando era mais nova me importava muito com o que iam pensar de mim e vivia noiada! agora tô nem aí pros padrões! aprendi que o que realmente importa é eu me sentir bem do jeito que sou! e que se decido mudar algo não é por causa dos padrões e sim porque eu quis mudar!

    xoxo
    Guria do Século Passado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que amadurecer muito para parar de nos importarmos com a opinião alheia.
      Obrigada pela visita
      Beijo

      Excluir
  3. Amei, principalmente o terceiro parágrafo que resume bem tudo o que é imposto desde quando nem tínhamos consciência disso! <3
    Eu estudo moda e sou feliz fazendo isso, mesmo sendo muuuuito diferente das pessoas que estudam comigo, mas quem não é, não é mesmo!? Dont worry, be happy! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes eu ficava triste de ser diferente no meio de todo mundo, mas hoje eu fico feliz, porque aprendi a me amar assim.
      Obrigada pela visita.
      Beijo

      Excluir
  4. Ótimo post!
    Eu compreendo um pouco o que são esses padrões de perfeição. É como se fossem coisas que toda pessoa tem que ter para ser considerada "normal, feliz e realizada". Durante minha adolescência, tive a autoestima minada por achar que precisava de um namorado para ser feliz. A maioria das outras meninas namorava, ou já tinha namorado antes, e eu achava que não era bonita, inteligente ou interessante o suficiente pra atrair a atenção de alguém. Só depois é que fui descobrir que nada disso importa, que um relacionamento acontece quando a gente menos espera, que sou bonita sim, e que ter namorado não é atestado de beleza ou de felicidade.
    Talvez eu não esteja tão fora do padrão assim, porque mesmo sendo negra e tendo cabelo cacheado, sou hétero e magra, e minha pele ainda é clara em relação a outras pessoas. Mas, por ter sofrido com um tipo de imposição durante parte da minha vida, eu sei o que é sentir que estou "errada", que tenho um "defeito". Pessoas como nós precisam resistir, e mostrar pro mundo que são querem ser iguais aos outros. Toda a força pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existo e resisto, não sou obrigada a seguir padrões para agradar os outros. Temos que nos amar em primeiro lugar para sermos felizes com o que Deus nos deu, pele, corpo, cabelo, sentimento...
      Obrigada pelo apoio.
      Beijos

      Excluir

Me diz o que você achou, o seu comentário é muito importante pra mim.
Obrigada!